Corpo e Sangue de Cristo

Padre Ivanildo Teixeira Vieira | Junho 2020

Querido povo de Deus,

Mais uma vez me "achego" até você para refletirmos e ajudá-lo na caminhada da fé.

Este mês de Junho é muito rico para nossa caminhada de fé. Celebramos Santíssima Trindade, Corpus Christi - O Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus -, a festa do Sagrado Coração de Jesus e, ainda, a festa de São Pedro e São Paulo. Vamos nos ater à Solenidade de Corpus Christi.

É muito importante para todos nós termos Jesus como alimento. No Evangelho de João 6, 51-58, Jesus menciona sete vezes o comer da sua carne. Isso mostra para nós qual o verdadeiro sentido da Eucaristia, ela é para ser comida. Em nenhum momento é dito que a Eucaristia é para ser adorada ou só vista, o que não significa que não deva ser, é até louvável o ato de adorar, tomando os devidos cuidados para não desviar de seu verdadeiro sentido.

Alimento e remédio para nossa vida: o alimento nos sustenta e o remédio nos cura. Assim, se estamos fracos ou doentes, o que sempre estamos, pois o pecado nos deixa doentes e fracos, não devemos deixar de alimentar da Comunhão Eucarística. O próprio Senhor disse: "Eu vim para os pecadores e não para os justos" (Lc 5,32).

Papa Francisco disse que o corpo de Cristo não é prêmio para os bons, e sim alimento para os fracos. Nesse sentido, não importa a condição moral em que a gente esteja, devemos sempre comungar, até porque ninguém o faz por dignidade, somos todos indignos. Comungamos, porque o Senhor é infinitamente misericordioso.

Na Celebração Eucarística, temos duas mesas, consequentemente dois pães. Mesa da Palavra e Mesa da Eucaristia; Pão da Palavra e Pão da Eucaristia, todos estão no mesmo nível. Nenhum é mais importante do que o outro. Lamentavelmente, alguns compreendem o contrário e, por isso, ficam cheios de escrúpulos e acabam se desviando do verdadeiro sentido da Eucaristia.

Jesus instituiu a Eucaristia com o valor existencial, isto é, ela faz parte do comungante, é alimento. Nós nos transformamos no alimento que ingerimos. Não está afastada de você. Para quem dá um valor existencial à Eucaristia, não existe distância entre a pessoa e Jesus, comungamos para isto: para nos identificarmos com Cristo, ser um novo Cristo na vida.